Quantas vezes me indaguei:
Seria Poeta como me chamavam
Ou seria alguém que só queria escrever?

Anos se passaram
Continuo a busca dentro do meu ser
Ser ou não Poeta eis a questão

No entanto não deixo de escrever
O que me dita minha Sagrada Inspiração

E vou vivendo a Vida
Nesta constante Indagação
Que hoje não mais me importuna

Escrevo o que sinto n'alma e coração
Passeio com eles de braços dados
Deixo-me levar ao sabor dos ventos
Sou feliz sem ter mais lamentos.

Eda Carneiro da Rocha
" Poeta Amor"


 

Menu ::: Voltar ::: Envie essa Página

 

 

::: CrysJuanGráficos&Design :::