E, como todos os mortais, pensava na minha Escalada.
Quantos degraus de Glória, Amor e Esperança me fizeram subir cada vez mais...
E nesta subida, pensei nas múltiplas descidas, que tive que enfrentar.
Mas nunca estive só!
Não!

Ele sempre estava lá, me sorrindo, me acenando por dias melhores.
Me induzindo a Crer, a Fazer, a Recomeçar.
E peguei, hipotéticamente, suas mãos e lancei-me mais uma vez, como Águia Corajosa
a procurar o meu penhasco, onde descansaria , sob a Sua Presença.
A Sua Presença e a Minha Escalada.

Como uma Formiguinha, dei meus primeiros passos hesitantes, temerosa pelo meu Advir.
E a Formiguinha caia e se levantava, pegava uma minúscula folhinha e a arrastava,
como se fosse um peso gigantesco.
E, de folhinha em folhinha, lá ia ela, com toda a Esperança, pois seu Mestre a esperava
e não a queria ver desanimada.

E lancei-me nos degraus de minha Vida e procurei emergir,
após meu batel ter quase sossobrado, em mares revoltos.
De Degrau em Degrau ,esperava seu compassivo olhar, suas mãos fortes
que não me deixariam cair outra vez.
Escalei todos os montes, todas as minhas paradas, todas as minhas angústias e medos.

Finalmente, preparei minha subida.
Escalei, com minhas forças revigoradas, esta Grande Escalada que se chama:
"VIDA"!


Eda Carneiro da Rocha
” Poeta Amor”

 

Menu ::: Voltar ::: Envie essa Página

 

::: CrysGráficos&Design :::