Voei!
Saí do meu corpo e fui muito longe.
Aonde?
Não o sabia.
Descortinei-me numa explicação muda.
Olhava-me. sem nada entender...
Estaria viva ainda?

Belisquei-me.
Não queria acordar.
Estava tão bom.
O ar entrava e levantava meu vestido
e o frescor daquele dia envolveu-me toda.
Comecei a cismar...
O que fiz da minha Vida?
Estaria satisfeita com ela?

Sim!
Eu o estava.
Padeci muito, durante toda esta vida, mas também fui muito feliz.

Venci as perdas inumeráveis, as doenças fatais.
A hora do gongo soou, mas Ele me observava.
Deixou-me viver, como o estou fazendo.
amealhando o " Amor", os Amigos, a Vida que Quero Viva!

E agradeço, todos os dias, a minha Vida recuperada e feliz.

Como não se pode ser feliz?

Mesmo com o mínimo, podemos esboçar um sorriso,
e agradecer tudo o que somos e o que temos.
Já falei numa Reflexão minha, que, às vezes, tenho vergonha de ser tão Milionária.
Não com objetos de luxo, de grife, que nem posso comprá-los.
Não com uma bolsa Victor Hugo, um Givenchy e tantas marcas, para o consumo dos que tem
realmente dinheiro.

Mas o dinheiro é muito bom.
Tira-nos muitos problemas, mas no sentido de Felicidade
da Alma, ele não pode nada comprar, nem dar.

Não quero jamais ter o nariz empinado, como tanta gente que eu observo.
Sentem-se " Os Donos do Mundo"
E nesta ilusão, vão vivendo e se destroçando sem o saberem.
Quero ser esta eterna Ave Liberta que canta, que vive,
respira todo o Amor Possível e é muito feliz, pois tem este Jesus Amado
que me dá tudo o que realmente preciso.

Aleluia!
Obrigada, Senhor!

Eda Carneiro da Rocha
"Poeta Amor"

 

Menu ::: Voltar ::: Envie essa Página

 

 

::: CrysJuanGráficos&Design :::