Nunca te amei como agora
Amor maduro prosopopeia
De um resquicio humano

Metaplasmos e metáforas
Mal compreendidos
No cerne de minh'alma
Que já de tão exausta chora

A falta que me fazes
Nos dias que passam ligeiros
No meu viver costumeiro

Chega!
Vem agora, sem quase um passo
Procura entender
Que sem ti já não vivo mais...

Eda Carneiro da Rocha
"Poeta Amor"


 

Menu ::: Voltar ::: Envie essa Página

 

 

::: CrysJuanGráficos&Design :::